Assinatura de Contrato de Construção de Salva-Vidas, Classe “Vigilante II” - Arsenal do Alfeite retoma actividade de Construção Naval

23-02-2017

Em 10 de novembro de 2016 assinámos o Memorando de Entendimento relativo ao projeto e construção de quatro embarcações salva-vidas da Classe Vigilante modificada, entre a Arsenal do Alfeite, S.A., a Autoridade Marítima Nacional e a Marinha Portuguesa, com a presença de Sua Ex.ª o Ministro da Defesa Nacional, Prof. Doutor José Azeredo Lopes e de Sua Ex.ª o Secretário Estado da Defesa Nacional, Dr. Marcos Perestrello.

Nesse memorando previa-se a celebração do respetivo contrato ainda no primeiro trimestre deste ano — o que sucedeu no passado dia  21 de fevereiro, com a assinatura do acordo entre a Marinha e a Arsenal do Alfeite, SA, para a construção de duas lanchas salva-vidas, com opção para mais duas, com a presença de Sua Ex.ª o o Secretário Estado da Defesa Nacional e do Chefe do Estado-Maior da Armada,  diversos convidados, da Marinha, de outras entidades e outros países, bem como trabalhadores da AA e seus representantes.

Salientamos do acordo os seguintes elementos principais:

• Projeto e construção pela Arsenal do Alfeite, SA, de duas lanchas salva-vidas destinadas a operações de socorro e salvamento pelo Instituto de Socorros a Náufragos com especiais características de manobrabilidade;

• As embarcações serão construídas em material compósito, à base de fibra de vidro;

• Os salvas-vidas disporão de excelentes qualidades náuticas, designadamente capacidade de sobrevivência em condições extremamente adversas e com desempenho adequado nas seguintes vertentes: flutuabilidade, robustez, mobilidade, manobrabilidade, comportamento dinâmico no mar e, sobretudo, de estabilidade, mesmo a grandes ângulos de inclinação transversal;

• Os salvas-vidas destinam-se a ser operados por uma tripulação constituída por 4 tripulantes, e ter capacidade para albergar um número de 12 náufragos sentados (ou entre 1 e 2 náufragos deitados e 6 a 9 sentados);

• Os salvas-vidas terão um período de vida útil de 25 anos e serão capazes de exercer missões de salvamento, vigilância e reconhecimento em condições de mar tempestuoso e em zonas de rebentação, sendo dotados de um meio orgânico de intervenção, destacável (como uma mota de água);

• O acordo prevê a possibilidade de contratar a realização de mais uma ou mais duas lanchas salva-vidas sem alteração do preço unitário;

O valor do contrato para a construção das duas lanchas salva-vidas ascende a 3 milhões de euros (IVA incluído) e a entrega das mesmas ocorrerá, a 31 de maio de 2018, com a primeira lancha, e a segunda, em dezembro de 2018.

Os trabalhos de construção iniciar-se-ão em março de 2017 com a realização do pré-molde.

Trata-se de um momento marcante para a AA e seus trabalhadores, sendo de realçar o impacto na Região e no Pais. O Estaleiro retoma assim a sua atividade de construção, contribuindo para a dinâmica do sector da Indústria Naval na Área Metropolitana de Lisboa. 


Voltar à listagem